Jogar Padrão ou adaptar-se para o Small Ball

prof_anselmo: Bom amigos… é sobre essa temática que gostaria de trocar idéias com os companheiros…

Muito se fala em raise padrão pré-flop, com mãos grandes para cerca de 2,5 a 3 bb enfim…

mas o poke moderno vem mostrando novas propostas, estratégias e táticas para o desempenho. Tanto que Caio Pimenta, André Aakkari, entre tantos outros apresentam em sua estratégia nos torneios..

Eu venho buscando desenvolver, mas evidente, que estou muito longe realmente de dominar ainda essa técnica.

gostaria de saber da opinião de vocês, o que já leram sobre, como vêem esse confronto de estratégia.

TrezeRJ: Pelo pouco que já vi do Poker de hoje, entendo que tudo é muito dinâmico. Na verdade não sei se existem mais valores default, mas talvez “faixas” de valores default. Tudo depende no Poker de hoje. Acho que o artigo abaixo, do Sobral (//www.pokermaniakos.com/sobral/posicao-agressividade), fala sobre que pensamento deve existir antes de qualquer estratégia.

Umas das coisas que muitos jogadores supervalorizam no poker são as cartas, quando na verdade deveriam aproveitar a experiência de Amarillo Slim em uma de suas melhores frases: ”Poker não é um jogo de cartas, poker é um jogo de pessoas.”
É claro que uma boa mão pode render excelentes potes, mas e o que fazer naqueles dias em que recebemos cartas ruins na maior parte do tempo? Principalmente em torneios, suas fichas não sobreviverão se você ficar parado esperando o nuts.

Existem duas armas importantíssimas para que se tenha sucesso no poker: agressividade e posição.

Agressividade: todo jogador já percebeu na prática o quanto ela é vital. Li um artigo muito bom de Roy ‘the Oracle’ Winston onde ele afirma preferir ser um raiser do que um caller, e a essência da agressividade se resume neste ponto, pois ao tomar a iniciativa dando o raise inicial e ser o agressor, coloca você no controle da situação e em ampla vantagem, visto que a maioria dos adversários vão colocá-lo em uma mão de média para ótima. Dessa forma, não é necessário esperarmos cartas boas ou mãos premium, pois estaremos desenvolvendo a habilidade de jogarmos com quase quaisquer duas cartas.

Aqueles jogadores passivos e call stations que dão calls em raises com grande freqüência, não percebem fatos básicos como: ao dar apenas call, já está dizendo ao seu oponente que sua mão não é tão forte para dar um re-raise — e além disso, perdem a oportunidade de tomar a frente na ação e deixam o controle nas mãos dos outros. O jogador profissional Marcos Sketch, fez uma analogia excelente sobre essa questão:

”Aumentar é muito melhor do que entrar de limp, e apostar é muito melhor do que pagar. Trata-se da diferença entre ser vagão ou locomotiva.”

Essa analogia é perfeita, pois é muito melhor você conduzir (como a locomotiva de um trem) seus oponentes dando raise e simulando a mão que você desejar, do que ”ser levado” como um vagão, dando apenas call no raise de outros e deixando-os ditarem qual será o caminho do pré-flop até o river.
Tomando a dianteira, você pode aumentar pré-flop com um J8s e jogar como se tivesse AK, bastando que atente como os adversários percebem sua imagem. Se sua imagem for mais LAG (loose-agressive) que joga com uma ampla gama de mãos, você pode se aproveitar disso para simular o oposto: jogar mãos fortes como AA, KK e AK, como um J8, apenas dando flat-call em um raise e escondendo a força de sua mão. Como todos sabem o quanto um jogador LAG é agressivo, então eles esperam que você dê re-raise com essas mãos e jamais vão desconfiar que ao acertarem um top pair, estarão atrás do seu range de mãos. 😉

prof_anselmo: na verdade esse é o pensamento padrão ….

o meu levantamento para discussão é sobre esse pensamento padrão de agressividade, onde entra o raise pre flop, ou coisa do gênero, quanto a estratégia small ball…

Como utilizar de forma eficaz…quando, mesclar.. do tradicional para o small, enfim…

alguém aqui domina, joga dentro dessa proposta.. leu alguma coisa diferente e queira compartilhar?

Infanato: eu nunca gostei de ser um jogador ‘bot’ que joga unicamente com métodos matemáticos, IMO um bom jogador adapta se a cada adverssario em si, mas claro usando procedimentos padrões de taticas, e tbm desenvolvendo suas proprias…principalmente jogadores de MTT.

ps: certa vez li um artigo sobre jogadores inlógicos serem grandes vencedores e o porque. acredito que o pessoal que crê que o poker é puramente matemática deveria ler. é uma nova era do poker, seja diferente e forre ou seja só mais um break even. hehehe…

abraço a todos. e feliz ano novo…

//www.maisev.com/artigos/como-jogadores-nao-logicos-sao-bem-sucedidos

Cebola: nao sou reg de mtts, mas acho muito importante essa discussao

imo, se adaptar é essencial para o player que deseja ser winner, seja qual for o limite que ele joga…
na Liga PD mesmo, cada vez que eu mudo de mesa, ou entra alguem na minha emsa eu ja fico mais atento pra ver como posso me adaptar etc

btw, jogar small ball é melhor que jogar o TAG tradicional… mas tem que ter muuuito cuidado pra nao se atolar e ir doando fichas, é uma estrategia bem arriscada

prof_anselmo: Show de bola o artigo…. trata do que chamam de meta game.

Realmente é necessário jogar buscando achar o equilíbrio entre TAG e small Ball. Lembro-me que li em um livro (não lembro qual exatamente) pois estou lendo 3 diferentes simultaneamente, pois um está em BC outros 2 estão em Maringá (sendo que um na cama e outro no banheiro). Mas dizia assim.. o Blefe é não é a regra e sim a exceção. Ou seja, o 3bet light entrou em moda para alguns mais animados em ser o Indiana, mas as coisas não são bem assim.

Um jogador de poker que almeja vôos mais altos, tem que buscar o equilíbrio. No poker é muito melhor ser o que agride, do que o que chama. Mas há momentos e situações, sobretudo relacionados a posição na mesa, estilo dos adversários, tamanho do stack … que um simples call, seja a melhor jogada.

Sempre li que AA, é raise em qualquer posição, contra qualquer número de oponentes, quer tenham aumentando ou não. Mas já é comum, me verem dando call apenas com AA, do meio da mesa, sem ter havido outros limpers antes ….

Já ganhei muitas fichas e perdi outras por causa disso.

Gostaria que mais amigos opinassem sobre o small ball, se alguém joga nessa estratégia, contribuíria muito com essa proposta de discussão.

obrigado aos amigos que participaram

afsalagoas: Pessoal,

Tenho poucos jogos de mtt ainda, mas com esse pouco já percebi algumas coisas.

O bobkirst acho que seja um dos players mais assíduo de DEEP STACK do fórum o qual já tinha comentando sobre o porque de jogar esses torneios, que vai dá sem dúvida no SMALL BALL.

Anselmo sem dúvida, está proporcionando algo fenomenal, ajudar ao fórum conquistar bons resultados em MTT e o Small Ball, confesso é algo muito importante por N fatores:

Vou separar por partes.

Raises/Call/Fold…

Como está massivo na net jogar com estratégia small ball é fundamental saber jogar o pós flop, se não tudo vai ser perdido rápido. Saber jogar não quer dizer que tenho 78s bate um flop de 7JQ dou mini-raise e o vilão me volta, que ele tenha Q/J na mão. O segredo na verdade está quanto tenho de stack inicial e quanto preciso pagar para levar o pote. Sem dúvida jogar em posição é fundamental, pois se tomar muitas voltas teu stack pode caí drásticamente e ficar sem ação. É fundamental pessoal ter reads do vilão para estruturar um CRAI ou “simples” fold. Cuidado com FLOAT, pois na minha percepção pode acabar com teu plano. Petrillo diz que é importante planejar toda a tua ação, assim “facilitando” nas decisões.

Posição/Blinds

A posição é muito importante para não perder fichas facilmente o que pode atrapalhar e muito em ações mais quentes. Os blinds é uma ferramenta fundamental para o Small ball, já que se fala em raise de 2,1 a 2,5 não mais que isso. Lógico se tende a subir e teu stack não, o SMALL BALL não faz sentido.

Range x Range

O bom do Samll Ball que mascara bem o teu range, o que vai ajudar em hands fortes como AA/KK, pois a tua imagem na mesa é bem diferente, e quando enfrentar tipo um vilão com TP/MP vamos conseguir puxar boas fichas. Já no inverso nos proporcionará largar mãos inversas, pois sei que o vilão vai está e muito na minha frente.

Eu tenho usado um range bem alto ultimamente em MTTS e alguns fora de posição. Mas a ideia fica sempre nos naipados, conerctors e LOW/MP Pair.

Eu gosto muito tipo 78s/96s/AJs – Q9o/Jto/KTo são cartas que acertando um flop legal e pagando pouco, vai nos proporcionar bons lucros.

No UB pode ser que tenha em outras redes, eles tem uns deepstack de 2$ que é excelente para testar o Small Ball. No pokerstars os torneios que lhe proporcionam 3k no minímo inicial são reduzidos e na maioria buy-in um pouco maior.

O meu grande problema hoje em dia, está no final, restando uns 100 jogadores e várias horas de Torneio, não consigo fluir meu jogo, ou erro no raise, ou o vilão acerta algo inesperável.

Eu acredito que poker é volume, quebrar o tilt a variância e partir para sessões diferentes, mesclo HU/OMAHA/TEXAS e acredito que agora estou obtendo uns resultados legais.

Meu pensamento é esse. Estou querendo ler mais ponto de vista.

prof_anselmo: show Afs, obrigado por partilhar….

Tenho percebido que os que antes eu chamava de donkey, hoje já começo a respeitar, pois realmente podem haver. Mas o que percebo no geral é o small ball, então era mais fácil um chamar de donkey quem me aplicou uma bad, do que entender a estratégia dele era na verdade small.

Dentro dessa perspectiva, já quebrei alguns pares de American Airlines heheheh (talvez por isso não me tilte mais esse tipo de coisa)
Aprendi a respeitar os jogadores do que subestimalos. O que faltava realmente talvez era a mim, ter lido mais do que critirar uma bad tomada.

Claro que não comprometo meu torneio em busca de draws… sempre há uma próxima etapa.

Vamos ver mais opiniões.

afsalagoas: Agora anselmo chegou onde eu queria ufa. Por associamos tomar bad e cooler, com DONKEY e logo dizemos poxa que jogador DONKEY.

Quando abro a mesa do Aakkari/Pessagno/Pimenta/Mojave e outros me digo como o cara fez isso? Poxa esse cara joga de mais, POXA! Quero ser como ele.

Que lindo quebou AA x 76s no flop, sensacional o call dele que LEITURA. Small Ball é isso, vai lhe proporcionar algo maior.

Agora o que acho que fica nos pressionando, não somos PRO – Profissionais do Poker, ou seja, no meu caso, quando veja aqueles 2 ou 3k tão perto faltando uns 40 players, a emoção consegue me superar e tira a minha razão, aí entra o Psicológico do poker. Ou até mesmo tomar uma daquelas e está jogando uns 7 torneios ao mesmo tempo e logo deixar passar para os outros, não, enquanto a fichas a esperança.

Uma frase que vou tomar sempre agora ´é essa: Paguei o buy-in, das possibilidades que podem acontecer pra mim duas são lógicas ou primeiro ou último.

Se pagamos o buy-in estamos na luta.

Sarsante: vejo o small ball com ressalvas.

é essencial saber jogar pós flop e mais essencial ainda ser bom em leitura de mãos, então sempre que vejo esse tipo de post penso: tem gente que quer fazer feijoada sem saber fazer miojo.

small ball é estratégia avançada!

então sugiro sempre, domine a estratégia básica para depois querer aplicar a estratégia avançada. se o cara não entender de M por exemplo e quiser usar small ball vai fazer M… vai ficar dando call quando não tem stack pra isso.

tem que entender bem quais mãos jogar, não adianta ficar dando call com sc no raise do utg tag pra jogar em hu contra ele. você vai quebrar um AA e vai ser eliminado de outros tantos torneios.

tem que ser muito bom em leitura de mãos, padrões de bet sizes dos vilões, timing tells para poder tentar roubar o pot tendo lixo.

tem que saber escolher os adversários e saber manipular a sua imagem. se a sua imagem estiver um lixo, vai ser bem mais difícil os vilões darem crédito para os seus blefes.

e também tem que escolher bem o buy-in pra jogar small ball, quero ver neguinho foldar bottom pair nos torneios de 0,25… isso non ecxiste na cabeça deles.

com blinds altos e antes, todas as estratégias falam que você deve jogar mais solto, mesmo a TAG tradicional. se ficar nit os blinds vão te engolir, então isso é meio padrão independente da estratégia adotada, só que o small ball é mais solto.

então resumindo: se for iniciante, esquece small ball e foque em ter um jogo sólido. aprender os conceitos básicos e depois pense em estratégias avançadas.

Cebola: ultimamente eu venho mesclando small ball e long ball nos torneios que eu jogo, vai dependendo muito da mesa, momento no torneio, viloes, minha imagem etc… mas estou gostando desse meu novo estilo, ta legal jogar assim

antes eu tentei jogar puramente small ball e começava a perder fichas em potes toscos, ganhava muitos pots com poucas fichas e érdia poucos pots, mas sempre inflados e que as vezes custavam meu torneio

o negocio é achar o equilibrio 😀

Melvins: O mais importante é mesmo a adaptação. Eu continuo um bocado perdido neste género. Ando a jogar quase todos os PT Poker Series (Stars – Campeonato Online Português) e dar-me bem bem foi apenas no shootout e com muita sorte (mas eram apenas duas mesas, e é como ganhar 2 SnGs). Mas até o que mais gostei foi o torneio seguinte em que fiz crescer de 3000 para 10000, estava no top-10 (convém sublinhar que é um MTT pequeno de 300 em que não sou tão mau como os de +1000), depois envolvi-me numa série de all-ins a pegar quase sempre um cooler de vários short-stacks e acabando por ser eliminado com QQ vs AA.

//pokerdicas.com/forum/torneios-multi-mesas-mtt/8070-pt-poker-series-23-16-50-no-limit-varias-maos.html

Eu simplesmente arrisquei. Nem sei se foi bem e, se foi, tem o problema que muitas vezes vamos acabar eliminados antes de ITM, o que torna difícil aplicar uma estratégia com confiança.

Eu questiono, de momento, a estratégia tight em que só usamos EP e MP cartas como AQ+ JJ+, ou então set minding. É que um monstro AK e QQ+ você só pega de 40 em 40 mãos, vai ficar a jogar apenas 1 mão a cada 2 voltas, por exemplo? Se não conseguir crescer em 4 níveis começa a ser esmagado pelas blinds e acaba por ir com KQ ou A8.

Acho que é muito importante ganhar os potes médios em que você não se compromete muito e pode crescer sustentavelmente, mas é preciso estar num bom dia de leituras também.

DonVitche: Prezado Mestre Anselmo, queira desculpar a intromissão, mas estou transferindo para o seu Tópico uma conversa que vinha tendo num post não apropriado. Acho que são assuntos ligados. Estarei tomando a liberdade de transferir também os comentários do amigo Sarsante, à quem também peço antecipadamente desculpas:

DonVitche, os bons LAG’s são os jogadores mais vencedores de seus limites. Eles dominam o aspecto posicional do jogo, fazem boas leituras e como não jogam só as boas cartas frequentemente são pagos quando tem boas mãos.

O problema é que é muito mais difícil ser um LAG bom, do que um TAG. Por isso vemos mais TAG’s vencedores do que LAG’s.

Sim, Sarsante, mas a imagem que eles passam para os demais jogadores nas mesas é a de que não estão nem aí se cairem, ou seja, jogando para perder. Minha dúvida é essa: …os LAG’s querem, de fato, passar essa impressão? Ela seria real? Quero dizer que, no sentimento deles, o propósito seria o de chegar forte lá na frente, e o preço disso é aumentar muito as chances de cair logo no inicio?

afsalagoas: Donvitche estou saindo agora para casa, mas acho que você não esta compreendendo a ideia de Small Ball e etc..

O pessoal vai postar mais coisas aí mais tarde entro para trocarmos mais ideia.

DonVitche: Bem, Alagoas, claro que posso estar redondamente enganado, mas ainda me parecem assuntos relacionados.

Entendo que a estratégia do Small Ball é a de trabalhar com mini-raises e mini-xbets, para não ficar inflacionando demais o preço das próximas cartas, deixando para possíveis acelerações somente os momentos de nutz borders. Mesmo não pressionando demais a mesa você estará no controle das mãos. É assim que entendo essa estratégia, então por gentileza corrijam-me.

Já os LAG’s representam, para mim, os executores do Long Ball. Vejo raises de 700 fichas em inicio de torneios, quando os blinds ainda estão em 30/60, e em posições iniciais. Quando alguém na mesa volta, mesmo em mini-raise, esses caras costumam pagar somente para verem os flops. Com voltas maiores eles costumam largar. Quando vêem os flops re-aumentam forte, aí sim largando com voltas mesmo minis. Vejo-os levando ótimos potes agindo assim, uma vez que os flops normalmente não ajudam à maioria das mãos.

Daí a minha curiosidade sobre a imagem que pretendem passar para a mesa. Querem ser as fontes de fichas fáceis, armando assim boas armadilhas aos menos avisados? Já caí em muitas delas, pagando aumentos grandes com Ax e enfrentando sets montados nos flops ou mãos monstros em pré-flops, exatamente pela dificuldade de saber quando é que estão mentindo. Meu problema tem sido o fato de que eles sabem quando EU estou mentindo, rsrsrsrs

Mas, voltando à minha dúvida, percebo que esses caras agem sempre como quem não tem paciência para esperar boas mãos iniciais. Caem antes, logo no inicio, ou quando chegam às mesas finais ou próximos delas passam a agir de modo bem tight, mudando completamente o seu perfil.

Como isso conflita com as orientações dos mestres, ou seja, de que você deve ser tight no inicio e mais solto nas retas finais, estaria essa estratégia baseada exatamente nisso, quer seja passar uma imagem “donkey” aos menos avisados, como eu?

ricardons8: o propósito seria o de chegar forte lá na frente, e o preço disso é aumentar muito as chances de cair logo no inicio?

o proposito dos LAG é esse msm, não o do small ball. eu gosto do estilo loose de se jogar, dependendo da mesa e do torneio claro, mais acho que si dominada é uns dos estilos mais lucrativos em MTT.

o small ball, acho que funciona bem em torneios deep, ambos precisam de muito treino, estudo, leitura, leitura,

prof_anselmo: perfeita as considerações, o Don trouxe uma situação pertinente sim para o post.

Sinceramente e sem falsa modéstia, eu acho que sei fazer o Miojo e estou me empenhando em aprender a fazer a macarronada.

Não indico JAMAIS o small ball para quem está iniciando a caminhada no poker….Mas indico ir estudando essa possibilidade, pois irão usar no futuro.

Entender o básico é o ponto de partida, para se aventurar nessa estratégia, em mtt eu recomendo para os que já jogaram algumas centenas de torneios e está com cerca de 10 a 15 porcento de itm, pois indica que está na média. Menos que isso, é necessário voltar as bases… para rever o que está errado e não se aventurar nisso por enquanto.

Boas todas as considerações até o momento…..

Vamos lá.. quem dá mais

prof_anselmo: achei esse artigo bastante interessante e pertinente para a temática em discussão…

autor Raul, grande profissional da Universidade do Poker…

Raul: Small Ball – Mantendo o Pote Baixo | Universidade do Poker

Por Raul Oliveira

Uma das últimas tendências do poker, introduzidas basicamente pela maneira de jogar que o Daniel Negreanu apresentou na TV é o small ball. Uma forma de manter quase sempre o pote pequeno e sob controle.

Normalmente um jogador iniciante tende a empurrar todas suas fichas com muita facilidade e esse conceito trata de como jogar exatamente da forma contraria, ou seja, evitar ao máximo por todas suas fichas na mesa, salve claro, situações em que você estiver nuts ou ainda um KK ou AA no pré-flop.

O interessante de se jogar dessa forma é que por manter sempre o pote baixo e possível participar de muito mais mãos do que se você gerasse potes maiores, logo a mãos iniciais normalmente seletas, ganham um leque bem maior para ser jogado. Mas a partir desse raciocínio também fica claro imaginar que para se jogar dessa forma é preciso dominar bem o pós-flop, por isso não é muito indicado para quem esta começando no hold’em.

Não é preciso ir muito longe pra imaginar que a posição para se efetuar o small ball é importantíssima, como vamos jogar muitas mãos precisamos ter vantagem, logo jogar a maioria das mãos em posição torna-se imprescindível.

O small ball tem como marca já de cara diminuir o tradicional raise de 3x o big blind no pré-flop pra 2,5 vezes, sendo que alguns jogadores estão descendo para 2,2 e até 2,1 vezes o big. Esse é outro motivo que faz com que mais pos-flops sejam gerados já que com raises bem baixos a chance de algum jogador vir a pagar é bem maior. Uma estratégia usada é mudar o raise em função do adversário, quando for dar raise em cima dos blinds de jogadores que costumam pagar aumente um pouco a proporção. O que não é indicado é mudar o valor do raise em função das próprias cartas, normalmente quando fazemos isso acabamos sem perceber dando alguns tells.

A idéia principal dessa estratégia é muito interessante, já que na filosofia se trata de ganhar mais arriscando menos, ao contrário do que sempre costumamos ouvir. O que acontece é que jogando dessa forma suas mãos boas costumam ter action, já que você participa de muitas mãos, fora isso suas ações tentam fazer com que seu oponente siga na mão quando estiver por baixo.

Outro atributo dessa estratégia é em certas situações deixar que seu oponente aposte por você, isso quer dizer que mesmo sabendo que você tem a melhor mão sua jogada vai ser dar check e apenas pagar pela aposta do seu adversário.

Por ser uma forma de jogar eu vou falar sobre o small ball em alguns artigos sendo que nesse primeiro vou tratar das mãos iniciais:

AA e KK você pode jogar de forma mais agressiva sem grandes ressalvas, já um QQ ou um JJ já se deve tomar mais cuidado já que por você jogar de forma mais loose essas mãos vão ter mais action do que o normal e obviamente com alguns jogadores no pote elas perdem e muito sua força. Só pagar raise da early position com essas mãos vai deixar a mesa em duvida futuramente quando você der call com mãos mais fracas na mesma situação.

Os pares de 10 ate 7 devem ser jogados de forma bem cautelosa, tendo se em mente que para se gerar um pote grande é preciso ter flopado a trinca, assim como os pares biaxos também, evite dar re-raise com essas mãos, mas abra raise com as mesmas no gap.

Tome cuidado com AK e AQ são mãos que costumam ganhar pequenos potes e quando participam de mãos grandes demais costumam estar atrás, mãos como AJ, AT, KQ, KJ, KT, QJ, QT devem ser valorizadas quando as mesmas são suited, seqüências e flushes podem gerar grandes potes para você mas pares e ate dois pares quando se deparam com um pote enorme é porque normalmente estão atrás.

Mãos valorizadas nesse estilo de jogo são os suited connectors, já que com eles você poderá derrotar pares altos com seqüências e flushes, outra vantagem dessas mãos é que são mãos fáceis de se largar quando se acerta apenas um par.

Fora essas mãos no estilo small ball você poderá jogar mãos bem fracas, mas para isso é necessário posição e uma situação favorável.

O conselho que deixo aqui inclusive pra quem esta começando é que pratique essa estratégia mesmo que não venha a ser a sua predileta, aprender e entender o small ball pode te ajudar e muito em alguns tipos de mesa e principalmente vai te deixar apto a enfrentar jogadores que utilizam essa estratégia, então se você costuma, por exemplo, jogar multi-tables de 100$ de forma bem segura, desça para um de 20$ e tente aplicar o small ball, já que estar a vontade com o valor do buy in é uma das chaves do sucesso para utilizá-lo.

Agora é importante saber que essa estratégia só pode ser utilizada em torneios que tenham na relação pingo stack uma certa folga (deeps) , fica fácil entender que num torneio onde a média num determinado momento é de 20bb não será possível manter o pote baixo.

Um grande abraço,
Raul Oliveira

DonVitche: achei esse artigo bastante interessante e pertinente para a temática em discussão…

Bem, guardadas as devidas proporções de conteúdo, até que não cheguei a dizer nenhuma bobagem.

Na verdade, amigo Anselmo, é assim que venho jogando há tempos, mas completamente sem sucesso. Pode parecer fácil perante a explicação, mas na prática é bem difícil de ser lucrativo.

O grande problema que percebo é o controle sobre os demais jogadores, porque costumamos jogar em torneios de muito baixo buy-in, e assim temos fields muito grandes para essa prática. Assim, o controle sobre as ações dos nossos oponentes é perdida pela constante mudança de mesa. Por isso sempre temos alguém acelerando o jogo e estragando tudo.

O que mais afeta nesse comportamento é que eles nos fazem largar as nossas mãos, e depois largam as deles frente à aumentos maiores ainda. Quando chegam no showdown percebemos que teríamos vencido numa boa parte das mãos, mas aí já é tarde, e os nossos blinds vão-se esvaindo.

Segundo essa observação, parece que o texto do Raul aplica-se de fato a jogadores cuja vivência já lhes permite estar à vontade com buy-ins na casa dos $20. Sinto-me à vontade na faixa dos $2-4, mas o field desses torneios não comporta essa estratégia.

Acredito que parte daí o meu contínuo insucesso, e o grande problema é que essa estratégia é a que melhor se relaciona com o meu temperamento. Quando TUDO dá certo, o que acontece raríssimas vezes, até chego a montar um bom BR inicial, mas não consigo mantê-lo crescente, e isso cria um destrutivo e desanimador ciclo vicioso. De que forma transformá-lo num ciclo virtuoso?

Forte abraço!

Sarsante: Sinceramente e sem falsa modéstia, eu acho que sei fazer o Miojo e estou me empenhando em aprender a fazer a macarronada.

Não indico JAMAIS o small ball para quem está iniciando a caminhada no poker….Mas indico ir estudando essa possibilidade, pois irão usar no futuro.

Tenho certeza que você sabe fazer pratos mais elaborados, mas a maioria aqui não…. só quis dar um alerta pros mais iniciantes não saírem fazendo bobagem por aí, porque leram que small ball é uma boa estratégia.

Para os limites que a maioria aqui joga, não é necessário jogar small ball provavelmente até as fases intermediárias-finais. pq ainda vai ter um monte de donkey vomitando fichas, então não precisamos tomar fichas de ninguém.

O que é muito importante frisar, é que pra jogar small ball você tem que dominar vários conceitos, como o de posição. pois ip é muito mais fácil manipularmos o pot, e eu disse manipular e não controlar porque é possível aumentar ou controlar o pot. você pode betar ou dar check behind pra ver uma free card por exemplo, agora oop se você betar pode tomar raise ou se quiser fazer um c/r pode tomar um check behind. oop é mais díficil colocar fichas e também controlar o pot.

Por isso considero uma estratégia avançada, pq precisa de conhecimentos que a maioria dos jogadores não dominam. Se o cara dominar todas as características necessárias, ele já será um jogador vencedor e provavelmente está querendo adequar o game pra chegar com mais fichas na reta final.

Quanto a diminuição do raise pf, isso não é exclusividade da estratégia small ball. Os bons jogadores diminuíram o valor do raise para ter mais espaço para jogar o pós-flop e isso vale tanto para extrair mais das mãos boas, como para o steal ser mais eficiente (se o cara rouba o pot gastando menos fichas, é +EV).

É uma lógica bem simples, com o raise normal (3x) o pot vai ter 7x no flop e uma cbet vai ter no mínimo 4bb, em caso de call o pot vai ter 15bbs no turn. Se pensarmos que boa parte do torneio a stack fica entre 20-40bbs, e o pot tem 15bbs no turn, uma aposta aqui e o hero estará comitado.

china: Eh a modinha do momento. Como tudo no poker, smallball tem efeito principalmente se o jogador tem posição. A base do smallball é o jogo pós-flop e um player sendo o primeiro a falar tem mais dificuldade em ter esse controle (provavelmtne já postaram sobre isso, mas não li nada aí acima, preguiça ftw).
Eu sou um cara mais das antigas, e confesso que me deixa desconfortável, quando um sujeito dá exatamente o miniraise de 2x PF (já fica no mindset, ou esse cara joga muito pos flop, ou não joga nada). Muitas vezes eu procuro até dar call light, obviamente dependendo do adversário (tem muita gente que vê os team pros jogando dessa forma e pensa que sabe jogar smallball e não sabem nada pós flop, acreditem) para tentar acertar o flop e tentar extrair o máximo por valor nas streets posteriores.
Eu, particularmente quando sou raiser geralmente vario de 2,3 a 2,6 x BB, em midstages para manter mesmo o stack. Early game vai 3 ou até 4x. Em micro/small stakes nego paga com qq coisa mesmo, então eu jogo pré-flop com prmium por valor, se é que isso existe, ahahaha.

afsalagoas: Pois bem…

Quando falamos de POKERSTARS é claro que nesse buy-in o bicho pega, o cara não quer saber se é Small Ball / TAG / LAG enfim não há respeito. Um mtt que já da uma boa noção é o 5.50 12k, mesmo no início já apresenta-se um bom torneio. Como falado pelo Anselmo, Sarsante e a grande maioria deve-se ter um certo cuidado. Na rede Cereus como falei tem uns Deepstack lá bem barato e field legal, claro que vai rolar muita coisa insana, mas com bom ajuste da pra fazer um bom jogo.

No demais isso aí, vamos juntar o pessoal de MTT e trocar mais ideia, acredito que a evolução é na certa.

DonVitche: Eh a modinha do momento

Por falar em modinha do momento, estou seriamente pensando em duas possibilidades para salvar o meu jogo: Abro mão dos 3 zagueiros e mantenho os alas como laterais, jogando muito tight o tempo todo, só no contra-ataque, ou assumo o carrossel holandês e vou pra cima dos adversários, bem LAG.

Jogando esse feijão-com-arroz do Felipão, vou continuar quebrando o tempo todo.

Se não funcionar, aguardo pelo meu centenário pra ver se grindo alguma coisa.

prof_anselmo: uauau somente o Don mesmo.. calma amigo, as coisas começaram acontecer pra vc… tem um bom jogo amigo…

Em micro realmente o negócio fica mais difícil realmente..

Autor original: prof_anselmo.

Artigo anterior
Próximo artigo

Artigos Relacionados

MELHORES APLICATIVOS DE POKER

- divulgação -

Artigos Recentes

- divulgação -