Mãos problemáticas no texas hold’em

4

Para alguns jogadores que estão apenas começando em no limit hold’em, toda mão pode ser considerada uma “mão problema.” Mas uma vez que você ganhe alguma experiência e comece a separar as diferentes mãos iniciais e comparar as suas tendências de desempenho, essa categoria de “mãos problemáticas ” começa a diminuir a algumas poucas situações precisam ser jogadas com cautela.

Vamos dar uma olhada no que três grandes nomes do hold’em têm a dizer, em particular, em relação a estas  “mãos problemáticas”

DoyleDoyle Brunson

Há muitos anos Doyle Brunson dedicou uma seção especial de “limites ou mãos problemáticas” na sua discussão sobre o no limit texas hold’em no livro Super/System: “Elas são mãos que você pode perder uma grande quantidade de dinheiro,” ele explica ainda:  “por isso, você deve jogá-las com cautela.” As mãos que Brunson se refere incluem o seguinte:

Screen Shot 02-12-15 at 12.29 PM

Para Brunson, para estas mãos representadas, não é recomendado pagar aumentos de um modo geral, embora ele ressalve esse conselho, dizendo que ele faria isso, se certas condições estivessem presentes – por exemplo, quando se joga em posição final, quando houve um aumento e um call na frente dele (dando-lhe boas odds para participar do pote), ou quando as cartas são suited (muitas vezes, atendendo essas situações ele é a favor de jogar essas mãos).

Ele, então, passa a explicar por que as mãos podem ser atraentes para serem jogadas, com possibilidades de straights e (suiteds) possibilitando flushs, começam a ser grande parte da atração. Mas ele aconselha aos seus leitores a ter cuidado com essas mãos depois do flop, concluindo com uma advertência geral que: “o ponto importante a lembrar sobre as mãos problemáticas é que quando você consegue acertar um flop com elas você não vai querer ficar muito envolvido com ele. Você deve apenas tentar jogar o pote o mais barato possível. ”

Ou não. Brunson não gosta de jogar AQ-, ao longo dos anos e isso foi bem relatado. Na verdade uma vez a mão ironicamente levou o seu nome porque ele afirmou nunca jogar com ela.

Aproveite seu tempo de estudo e crie sua conta no 888 Poker clicando neste link! Você ganha $88 grátis* e ainda pode jogar nosso freeroll semanal de $100 todas as terças-feiras! (*$8 em cash e $80 em bônus).

Dan HarringtonDan Harrington

Escrevendo muitos anos mais tarde, Dan Harrington no livro Harrington on Cash Games acrescentou seus próprios pensamentos sobre as “mãos problemáticas”, estreitando a lista um pouco para se concentrar em cinco, em especial:

Screen Shot 02-12-15 at 12.29 PM 001

(Harrington tira as mãos com ases e os conectores menores para discutí-los separadamente.)

Se você olhar para as mãos, elas são escolhidas com foco em quase todas as mãos Sem Ás (A) e que contenham duas cartas Broadway  (exceto {J -} {10}). Todos são atrativas para nós por causa de sua relativamente classificação alta no ranking de duas cartas, mas como explica Harrington, é precisamente por isso que essas mãos tendem a causar problemas

“Uma vez que as mãos contenham cartas altas”, explica ele, “elas se parecem com as mãos que você quer jogar, e, em muitos casos, são as mãos que você quer jogar. Em no-limit hold’em, no entanto, elas exigem uma medida extra de cautela, porque elas são facilmente dominadas por mãos com ace-high ou até mesmo outras mãos do grupo. ”

Por “dominada” Harrington refere-se à situação de ter a mesma carta com um adversário que tem um “kicker” maior ou segunda carta. Se eu estou jogando {K -} {10} e você segurar {K -} {Q-}, eu tenho uma “mão dominada”, que pode me meter em encrenca real se vier um rei entre as cartas comunitárias.

Isso é precisamente a situação que Harrington fala repetindo o conselho de Brunson para proceder com cautela depois do flop com essas mãos. “Quando você joga essas mãos, e acerta o flop com uma carta alta, e, em seguida, entra em ação, você não vai saber exatamente onde você está. Você pode ter top pair, sem straights óbvios ou flushes, e ainda tem que deixar a mão por causa do perigo implícito de por toda a sua stack a perder.

Harrington acrescenta mais instruções; a menos que você acerte algo grande (por exemplo, um straight, flush, trip ou melhor, etc.), estas (problemáticas) “não são mãos para levar para o river em um grande pote” e como elas também não são boas mãos com as quais se deve pagar aumentos dos adversários.

O Party Poker está de volta ao Brasil! Saiba sobre o bônus e as vantagens ao criar sua conta afiliada ao Poker Dicas.

Daniel NegreanuDaniel Negreanu

No livro Hold’em Wisdom for All Players, Daniel Negreanu aprofunda ainda mais na categoria de “mãos problemáticas” para se concentrar em uma em particular – {K -} {Q-} – que de partida no hold’em ele chama de “uma mão duvidosa. ”

“Os jogadores novatos comumente supervalorizam a força do {K -} {Q-} quando acertam um par no flop “, escreve Negreanu, novamente para post flop complicado nesse spot, como destacado  tanto por Brunson como Harrington quando chamam a atenção. Como ele explica, depois de um flop com Q high (por exemplo), “a maioria dos jogadores amadores … não são sofisticados o suficiente para saber quando jogar a mão para levar para o river e quando deixá-la ir.”

Como Brunson e Harrington, Negreanu não está interessado em pagar aumentos dos adversários com {K -} {Q-}, seu ponto principal é para que os jogadores não “se iludam pensando {K -} {Q-} é uma mão premium”.

Conclusão

Para resumir o conselho desses três escritores a respeito de “mãos problemáticas”, procedendo com cautela para a maioria é, obviamente, a mensagem comum entre eles. Entenda que flopar top pair com mãos como {K -} {Q-}, {K -} {J-}, {K -} {10}, {Q -} {J-} ou {Q -} {10-} contra um único adversário poderia muito bem ser o suficiente para ganhar um pote, mas na maioria dos casos, não seja demasiadamente ansioso para construir um pote grande, pois você poderá estar dominado.

Enquanto isso contra vários adversários, flopando apenas um par com estas “mãos problemáticas” é provável que você deva foldar, especialmente quando enfrenta apostas dos outros. No entanto, pode haver situações em que você faça straight ou flush draws e pode receber odds razoáveis para prosseguir.

Mesmo assim, não deixe que as “mãos problemáticas” coloquem você em muitos problemas, e saiba que as decisões inteligentes pré-flop, com essas cartas, podem ajudar a evitar uma maior dificuldade uma vez que as cartas comunitárias vêm para complicar ainda mais a sua vida.

Traduzido e adaptado de: Brunson, Harrington & Negreanu trouble hands in hold’em

4 Comentários

  1. Uma mão que acho sempre furada é Q 9, sempre da alguma merda. Inacreditavelmente, minha mão preferida sempre vai ser uma Q preta com um 4 vermelho, não sei pq :v haauhuhaahu

    • Heheheheh
      Realmente Q9 faz parte das mãos dominadas! Por QT, QJ, KQ, AQ… Etc!
      Claro que vale jogá-la em late position, mas sempre com cautela.
      Abs!

DEIXE UMA RESPOSTA