O que é bad beat?

Um adversário acerta sua carta no river e publicamos no fórum: “que droga, levei mais um bad beat!” Será mesmo que foi um bad beat? Para responder esta pergunta, temos que saber o que é bad beat. Pesquisando na literatura especializada, encontramos genericamente alguns conceitos:

Ter uma mão que é a grande favorita, que é derrotada como o resultado de um golpe de sorte, especialmente quando o pessoa que acertou a carta estava jogando incorretamente por entrar no pote em primeiro. (Sklansky, David. Teory of Poker, pg. 277)

Uma mão que perde para um oponente quando este acerta uma carta vencedora com muita sorte, especialmente quando o oponente não deveria ter jogado esta mão. (Hilger, Mattew. Internet Texas Hold’em – Winning Strategies from an Internet Pro, pg. 230)

Uma natural definição de bad beat signifca que um jogador não deveria estar jogando nessa mão, e ainda acerta um carta que bate o jogador que provavelmente venceria. (Jones, Lee. Winning Low Limit Hold’em, pg. 166)

Como é comum, não há uma definição formal para bad beat. Todos os autores falam em “mão favorita”, mas não é suficiente para uma definição.

Neste sentido, vamos propor neste artigo, baseado em estudos matemáticos e na experiência, uma definição formal para bad beats:

Caracterização formal de Bad Beat

Por definição bad beat ocorre quando o vencedor tinha as seguintes chances de vencer após todos os jogadores irem em all in:

  • Pré-flop: menos de 30% de chance de vencer;
  • Flop: 5 outs ou menos;
  • Turn: 7 outs ou menos.
  • Nota: mesmo sendo relevante, esta definição não leva em conta se o jogador que deu o bad beat deveria estar na mão ou não (como os autores falam), visto que é algo de avaliação subjetiva. A definição se limita aos aspectos probabilísticos, de forma que um jogador pode jogar de forma perfeita e mesmo assim dar um bad beat (por pot odds, por exemplo).

    Explicando um pouco melhor a definição. O bad beat se configura quando um jogador que está perdendo (underdog), vai all in e é pago ou paga um all in, e mesmo o(s) adversário(s) sendo grande(s) favorito(s), o underdog acerta a(s) carta(s) que o salva(m) e ele vence a mão.

    Seguindo esta definição temos clássicos bad beat:

    • Pré-flop: AA X KK; AK X AQ; AA X A9; 22 X 22 e um jogador faz flush (este é o pior bad beat pf possível!)
    • Flop: AA X KQ num flop K23, all in e turn ou river K ou Q
    • Turn: AA X KQ num turn K237, all in e river r K ou Q

    As combinações possíveis são muito grandes e poderíamos enumerar um enorme número de bad beats. Mas é mais ilustrativo mostrar o que não é bad beat.

    • PF: AKs X 72o (72o tem 30,9%), não é bad beat
    • Flop: quando o jogador que está atrás tem duas overcards. Ex.: JJ X AK, flop 459, all in no flop (AK tem 6 outs), não é bad beat
    • Flop ou turn: quando o jogador que está atrás tem flush draw, open-end straight draw (duas pontas) ou duplo insight straight draw (duas brocas), não é bad beat
    • Flop ou Turn: quanto tenho uma over card e broca. Ex.: AA X KQ num flop KT9 (9 outs), não é bad beat

    Então, quando ficar na dúvida se foi bad beat ou não, siga a definição matemática colocada aqui que não tem erro! É o fim da polêmica sobre bad beats!

    Por fim, um depoimento de um dos maiores jogadores de todos os tempos sobre bad beats!