4 coisas erradas que jogadores amadores dizem

4

Jogadores profissionais de elite são muito melhores que os jogadores amadores. Isto todo mundo sabe. Porém, o que muitos amadores não sabem, é que os jogadores de elite usam um vocabulário de estratégias quase que totalmente diferente daquele dos iniciantes. Em outras palavras, amadores e jogadores profissionais pensam sobre o jogo de formas completamente diferentes, e obviamente a forma de pensar dos jogadores amadores normalmente não é a mais correta.

Pensamentos dos Jogadores Amadores

Aqui estão quatro coisas ruins que os amadores dizem ao falar sobre mãos, e que você nunca ouvirá de um jogador profissional.

  1. “Acho que ele tem Ás e Rei.”

Jogadores AmadoresJogadores amadores dizem isso constantemente, e quase sempre estão errados.

A mão, no caso AK, não é especificamente o problema. Você poderia mudar ela por qualquer outra mão e ainda assim seria algo ruim de se falar.

Amadores tendem a simplificar demais o poker, e esse é um dos jeitos que eles o fazem. Quando estão tentando ler a mão do oponente, eles focam apenas em uma mão possível, excluindo todas as outras. Então, jogam da forma que acham melhor contra aquela mão específica.

O problema é que quase nunca é possível restringir para apenas uma mão o range do oponente e estar correto.

Jogadores de elite provavelmente diriam algo como: “Ele tem um range de mãos fraco”. Essa afirmação reconhece que um oponente pode ter um diferente número de possíveis mãos.

O Party Poker está de volta ao Brasil! Saiba sobre o bônus e as vantagens ao criar sua conta afiliada ao Poker Dicas.

  1. “Eu desisti/paguei apenas para tentar controlar a variância.”

Tenho escutado essa nos últimos 13 anos, e é tão ruim hoje quanto era antigamente. A ideia é que ninguém gosta dos altos e baixos do No-Limit Hold’em. Na verdade, os altos não são o problema, mas sim os baixos.

Um jogador ruim, então, começa a pensar: “Bom, eu não posso perder o que eu não coloquei no pote!”. Pouco a pouco, ele começa a jogar de forma passiva. Ao invés de reaumentar com QQ antes do flop, ele apenas paga. Ao invés de pagar com uma mão pega-blefe, ele desiste. Ao invés de jogar o draw, ele desiste. Sempre que há uma escolha a ser feita, esse jogador escolhe a opção que coloca menos dinheiro no pote.

Se você perguntar a esse jogador o que ele está fazendo, ele provavelmente dirá que está tentando diminuir os males da variância. “Claro, eu sei que estou desistindo de um lucro maior, mas eu consigo jogar tão melhor sem todas aquelas oscilações da variância.”

Isso não funciona. Um jogo vencedor precisa de muita agressão e assunção de riscos. Você não pode sistematicamente reduzir o risco e ainda assim jogar de forma forte. Isso é impossível. Se você estiver limitando todas suas decisões a pagar ou desistir, tudo que preciso fazer é apostar sempre que você der check e eventualmente te derrotarei.

Jogadores de elite não tem uma fala análoga à esta. Eles jogam um estilo com alta variância pois esse estilo é o melhor e maios lucrativo de se jogar. Se você intencionalmente tenta reduzir a variância, você deve aceitar que nunca jogará bem de verdade.

  1. “Eu aumentei para tentar levar o pote agora.”

Felipe RubinoJogadores amadores normalmente falam isso quando têm uma mão forte em um board dinâmico e com draws. Por exemplo, eles podem ter QQ em um flop J96 com flush draw. Quando alguém aposta, eles aumentam para “levar o pote logo”.

A ideia por trás disso, se você parar para pensar, é ridícula. Mãos boas somente têm valor no showdown. Se você aumentar no flop e levar a mão logo, você poderia até mesmo ter 72 e ainda assim ganharia. Na verdade, a única diferença entre QQ e 72 é que você ganha mais showdowns com QQ. Então, não faz absolutamente nenhum sentido evitar showdowns quando tiver mãos boas.

Isso não significa que esteja errado aumentar com QQ nesse tipo de board. Mas aumentar apenas para “levar o pote agora” é uma lógica fraca e amadora.

Jogadores de elite falam sobre ranges de aumento. Esses jogadores olhariam para o flop J96 com flush draw e pensariam em todas as mãos possíveis que eles poderiam ter. Então, eles dividiriam mentalmente essas mãos em range de fold, range de call e range de aumento (algumas vezes poderiam até mesmo dividir o range de aumento em dois, um para aumentos pequenos e outro para aumentos grandes).

Tipicamente, eles fazem esse exercício mental durante os estudos, longe das mesas, para que ranges aproximados venham à cabeça quase que automaticamente enquanto jogam. Então, um jogador de elite poderia sim aumentar com QQ pois essa é uma mão que poderia estar em seu range de aumento nessa situação. Nesse ponto, qualquer intenção por trás do aumento é irrelevante, e o profissional com certeza não gostaria que seu adversário desistisse da mão.

Aproveite seu tempo de estudo e crie sua conta no 888 Poker clicando neste link! Você ganha $88 grátis* e ainda pode jogar nosso freeroll semanal de $100 todas as terças-feiras! (*$8 em cash e $80 em bônus).

  1. “Vou jogar contra aquele cara com qualquer mão da próxima. Eu sei que ele está roubando.”

As pessoas facilmente se lembram das coisas que aconteceram recentemente, e assim tendem a dar mais peso a esses acontecimentos ao tomar decisões sobre futuros eventos.

Se o New Orleans Saints acabou de ganhar 3 jogos seguidos por placares altos, a média das pessoas tenderá a superestimar as chances dos Saints ganharem o próximo jogo. Claro, eles podem realmente ser bons, mas eles não são tão bons quanto podem parecer em sua melhor série de vitórias. Um único golpe de azar poderia fazê-los perder em qualquer jogo.

No poker é a mesma coisa. Cem mãos de poker não significam absolutamente nada no jogo como um todo. A maioria dos jogadores online diz que precisam de pelo menos 1000 vezes mais mãos do que isso para poder começar a tirar conclusões significativas.

Bom Dia & Outros (68)Mesmo assim, muitos jogadores amadores tiram conclusões a todo o tempo baseando-se em apenas cem mãos, ou até menos. É comum ouvir coisas com: ele está sempre blefando; ela sempre joga apenas com o nuts; ele é o jogador mais tight que já vi; ela sempre paga com mãos ruins.

Na maioria das vezes, você não pode tirar conclusões legítimas em apenas um dia de jogo. Ainda assim, muitos amadores o fazem a todo momento.

Jogadores de elite tem um ponto de vista mais analítico. Claro que eles fazem leituras dos oponentes e ajustam suas estratégias de acordo com tais leituras. Porém, esses ajustes são sustentados por uma base de estratégias que é forte e balanceada.

Por exemplo, é improvável que um jogador de elite vá olhar para sua mão antes do flop e decidir que irá jogá-la “como se fossem Ases” apenas para levar a mão em um blefe. Como disse antes, jogadores de elite pensam em termos de range de mãos. Se eles acham que alguém está blefando muito frequentemente, eles simplesmente colocarão mais mãos no range de call e no de aumentos.

Eles podem até jogar 72, T3 ou qualquer mão que venha pela frente. Eles adicionarão mãos das melhores e das piores. Se suas próximas 5 mãos forem horríveis, eles apenas esperarão por uma que não é.

Considerações Finais

Se você é um jogador amador que quer melhorar, o primeiro passo é esquecer os pensamentos errados, como os que coloquei, que fazem parte do seu jogo. Se perceber que você está pensando e falando as coisas que listei, é hora de trabalhar no seu jogo.

Artigo traduzido e adaptado do original: Ed Miller: Four Bad Things Amateur Poker Players Say

4 Comentários

  1. esse pensamento de aumentar absurdamente quando tenho AA,QQ OU AK, ante do showdown eu tenho , acho que faço isso porque uma fez li uma matéria do Daniel Negreau, onde ele falava que mão bem jogada é aquela que vc ganha sem nem olhar as cartas do showdown.

    • Mas um AA tu pode extrair valor em todas as streets, e se der um overbet no river provavelmente só será pago com mãos que estarão te ganhando… melhor apostar por valor já que AA , obviamente dependendo do bordo tem muito valor de showdown, do que overbeta e não extrair nada… as vezes vem a bad , mas na maioria das vezes tu vai ganhar

    • Sim, mas isso ele se referia a um blefe. Quando se tem valor, não há motivos para espantar o vilão do pote :)

DEIXE UMA RESPOSTA