Conceitos para torneios: O all-in

All-inUm dos moves favoritos dos jogadores de torneio definitivamente é ir all-in, ou seja, apostar todas as fichas. Apesar de muitos discordarem, esta estratégia se utilizada no momento e da maneira certa pode ser muito lucrativa, enquanto que  se realizada sem um planejamento pode ser um desastre. Saber quando utilizar do all-in é essencial para este ser um movimento lucrativo.

Antes de entrarmos em uma discussão mais profunda, vamos falar diretamente de uma das piores estratégias que existem: ir all-in nos estágios iniciais de um torneio. Muitas pessoas fazem isso com a esperança de dobrar de fichas, mas o problema desta situação é simples. Quando você compromete todas as suas fichas no pote todo mundo sabe que você tem uma mão decente. Jogadores geralmente fazem isso com pares, por exemplo par de valetes (JJ), o que acaba resultando apenas em calls de mãos melhores como QQ, KK e AA e uma provável eliminação precoce.

Com isso explicado, ir all-in de forma planejada pode fazer maravilhas. Uma das características que separa um bom jogador de um excelente é o conhecimento da melhor hora para ir all-in. Aqui está um pequeno guia que o ajudará a determinar os tipos de mãos boas para se apostar todas suas fichas.

Etapa final do torneio (com uma imagem tight/conservadora)

Se você jogou de forma tight durante o torneio, seus oponentes provavelmente perceberam que você só está jogando boas mãos. Você pode usar isso contra eles e aproveitar-se do all-in para roubar os blinds. Se você está no botão e todos foldaram antes de você, não tenha medo de empurrar suas fichas com Axs ou pares contra jogadores decentes. Sempre lembre-se de que é muito mais difícil pagar um all-in do que ir de all-in.

Contra jogadores habilidosos

A estratégia de ir all-in é ótima para jogadores que estão sem recursos. Quando você está jogando contra jogadores com alto nível de habilidade que podem vencê-lo no pós-flop, ir all-in pré-flop pode ser uma boa estratégia. Embora essa estratégia possa gerar um efeito colateral em você, ela pode ser lucrativa se executada contra o jogador certo e no momento oportuno.

Se você está em uma situação que tem certeza de ter um oponente muito mais “forte” do que você, pode ser mais válido aplicar pressão colocando-o em all-in do que aplicar um raise padrão, ir para o flop e acabar perdendo uma boa parte de seu stack após receber um raise ou algo do tipo.

A bolha

All-in 2

Embora isso também se qualifique nos estágios finais do torneio, a situação é um pouco diferente. Durante torneios, os jogadores tendem a deixar o jogo cada vez mais conservador quando estão chegando perto da faixa de premiação. Aqui é um momento excelente para aplicar a estratégia do all-in e construir um bom stack. Se conseguir aumentar de forma significativa seu stack neste estágio você aumentará muito suas chances de vencer o torneio.

Se você quer se tornar um jogador vencedor de MTTs não pode ter medo de colocar todas suas fichas no pano. A próxima vez que um oponente aumentar sua aposta, você pode dizer “I’m all-in” sabendo que está fazendo na situação correta.

Que fique claro que as estratégias de ir all-in geralmente se aplicam quando seu stack (ou o stack efetivo) for de short a médio (algo em torno de 5~20 big blinds). Se você e seu oponente tiverem 30 ou mais big blinds a situação fica muda e o pós-flop talvez seja necessário.

Artigo traduzido e adaptado do original: Tournament Concepts: Going all-in

3jun

Comentários

comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *